Archives quotidiennes :

Estatísticas e gestão política do primeiro ano da pandemia de COVID-19 na Argentina

Statistics and political management during the first year of the Covid-19 pandemic in Argentina

Claudia Daniel, Natalia Romero Marchesini & Cecilia T. Lanata-Brione (2022)

Sociologias, 24(60), pp. 16-49. Open access (Español & English)

Resumo. A pandemia de Covid-19 estimulou a geração e ampla circulação de estatísticas de saúde. Este artigo examina o papel assumido pelas estatísticas da Covid-19 na gestão política da emergência sanitária na Argentina, país que se caracterizou por adotar medidas precoces, um confinamento social estrito inicial e subsequentes flexibilizações que significaram um desafio de coordenação em uma sociedade em crise. A pesquisa adotou uma estratégia metodológica qualitativa apoiada na análise sistemática de diversas fontes: regulamentos, relatórios governamentais, imprensa e registros em vídeo de coletivas de imprensa presidenciais. Por um lado, o artigo explora a trama institucional de elaboração dessas estatísticas, detendo-se em alguns pontos dessa cadeia como as classificações estatísticas, e destaca a série de tensões a que foi exposta. Por outro lado, mostra como as estatísticas foram usadas para conferir legitimidade às decisões da autoridade política, encenadas por meio de verdadeiros rituais de quantificação, ao mesmo tempo em que serviram de instrumento para o exercício dessa autoridade. Além de atribuir significado à experiência compartilhada, os indicadores estatísticos faziam parte de um dispositivo de coordenação da ação à distância e a partir do centro, que restringia as margens de ação discricionária das autoridades subnacionais e funcionava como um mecanismo externo e impessoal de regulação em uma sociedade convulsionada por uma situação tão excepcional quanto a pandemia.

Abstract. The Covid-19 pandemic triggered the generation as well as the ample circulation of health statistics. This article examines the role that Covid-19 statistics acquired in the management of the Argentine health emergency. Argentina adopted lockdown measures early and initially had a strict social confinement with subsequent relaxations that became a coordination challenge in a society in crisis. This research followed a qualitative methodological strategy supported by systematic analysis of regulations, government reports, press articles, and presidential press conferences. On the one hand, the article explores the institutional structure behind the elaboration of Covid-19 statistics, focusing on statistical classifications, and underlines the tensions to which it was exposed. On the other hand, it shows how statistics were used to bestow legitimacy to the decisions of the political authority, staged in true rituals of quantification, as they were a means through which that authority was exercised. In addition to attributing meaning to a shared experience, statistical indicators became a device for coordinating action at a distance and from the center, restricting the margins of discretionary action of the subnational authorities and operating as an external and impersonal mechanism of regulation in a society disrupted by an exceptional situation.

Lien / Link