Archives quotidiennes :

Avaliação, Classificação e Decisões sobre Embriões In Vitro: As (Re)Apropriações das Normas pelos Embriologistas

Evaluation, Classification and Decision-Making on In Vitro Embryos: The (Re)Appropriations of Norms by Embryologists

Catarina Delaunay & Luís Gouveia (2021)

Antropolítica, 52, pp. 94-118

Resumo. Este artigo descreve, analisa e discute as formas de relação dos embriologistas com as normas padronizadas que orientam a sua prática profissional no âmbito das técnicas de Procriação Medicamente Assistida em termos de avaliação, classificação e tomada de decisão sobre o embrião humano criado in vitro. Com base em entrevistas realizadas com embriologistas de centros públicos e privados de Procriação Medicamente Assistida, problematizamos as formas de adesão e conformação à governança pela norma, ou, como contraposto, às modalidades de composição, adaptação, negociação, ressignificação e crítica das normatividades estandardizadas por parte desses profissionais de saúde de acordo com os seus próprios esquemas cognitivos, saberes experienciais e padrões normativos. Sistematizamos os critérios usados na decisão sobre os embriões a transferir, congelar ou descartar e propomos uma gramática de lógicas em termos de atitudes  e posicionamentos, mais ou menos rígidos, dos embriologistas diante dos standards e guidelines de avaliação e da classificação dos embriões.

Abstract. This article describes, analyzes and discusses the ways in which embryologists relate to the standardized norms that guide their professional practice in the field of Medically Assisted Procreation techniques in terms of evaluation, classification and decision-making about the human embryo created in vitro. Based on interviews conducted with embryologists from public and private Medically Assisted Procreation centers, we problematize the forms of adherence and conformation to governance by the norm, or, as a counterpoint, the modalities of composition, adaptation, negotiation, re-signification and critique of standardized normativities by these health professionals according to their own cognitive schemes, experiential knowledge and normative standards. We systematize the criteria used in deciding which embryos to transfer, freeze or discard, and propose a grammar of logics in terms of embryologists’ more or less rigid attitudes and stances towards embryo evaluation and classification standards and guidelines.

Extract: “Informação e conformidade, enquanto investimentos em formas (THÉVENOT, 1984, 1986) que geram formas do provável (THÉVENOT, 2002) associadas à grandeza industrial (BOLTANSKI; THÉVENOT, 2006) em termos de eficácia técnica (avaliação da qualidade e potencial de evolução do embrião) remetem para formas convencionais de coordenação da ação (entre embriologistas, médicos e beneficiários).
Alguns desses profissionais definem-se como “pragmáticos” (Entrevista B7.1), vinculando-se mais aos standards de avaliação técnico-científica dos embriões e procedimentos padronizados de seleção e rejeição, sem que essa decisão suscite em si qualquer tipo de inquietação. Como analisamos mais à frente, outros embriologistas introduzem uma maior complexidade de variáveis na descrição que fazem da tomada de decisão sobre os embriões gerados em laboratório (descarte, criopreservação, transferência etc.). Se a estandardização, ao produzir garantias públicas, em termos de regulação e objetividade, pode engendrar a pressão e opressão de um regime de envolvimento sobre outro (THÉVENOT, 2009), alguns embriologistas entrevistados contrariam essa sobreposição da norma padronizada mediante formas de envolvimento compósitas.” (p. 102)

Extract: “Information and conformity, as investments in forms (THÉVENOT, 1984, 1986) that generate forms of the probable (THÉVENOT, 2002) associated with industrial grandeur (BOLTANSKI; THÉVENOT, 2006) in terms of technical efficacy (evaluation of the embryo’s quality and potential for evolution) refer to conventional forms of action coordination (among embryologists, physicians and beneficiaries).
Some of these professionals define themselves as “pragmatic” (Interview B7.1), binding themselves more to the standards of technical-scientific evaluation of embryos and standardized procedures of selection and rejection, without this decision itself raising any kind of inquiry. As we analyze later, other embryologists introduce a greater complexity of variables in their description of decision making about laboratory-generated embryos (discard, cryopreservation, transfer, etc.). If standardization, by producing public guarantees, in terms of regulation and objectivity, can engender the pressure and oppression of one involvement regime over another (THÉVENOT, 2009), some interviewed embryologists counter this superimposition of the standardized norm by composite forms of involvement.” (p. 102)”

Lien / Link